segunda-feira, 17 de maio de 2010

Avatar (e um pouco de Evangelion)

Assisti o tão aclamado novo filme de James Cameron, que vem batendo todos os recordes de bilheteria, vendas, faturamento, e Oscars perdidos para a ex-mulher.

Na minha opinião, o filme merece a fama que atingiu, é o blockbuster definitivo, tem tudo o que um grande sucesso de bilheteria precisa, (menos um roteiro original, mas um sucesso não precisa disso), e algo mais.

Me arrependo de não ter visto em 3D, mais pela curiosidade do que pelo filme em si, porém não sei se ficaria satisfeito com os cinemas 3D disponíveis por aqui (talvez só em São Paulo realmente valha a pena).

E notei algumas coisas que a maioria deve ter deixado passar, coisa que nerd presta atenção, por exemplo:

  • Oxigênio em Pandora: ok, os humanos não podem ficar sem máscaras em Pandora porque irão desmaiar em 20 segundos e morrer em 4 minutos, logo, é de se deduzir que não há oxigênio no planeta (ou será apenas rarefeito?), não sei, porém o fato de Jake conseguir acender uma tocha num ambiente com pouco ou nenhum oxigênio me intriga.

  • James Cameron curte Evangelion: Na primeira vez que eles sincronizam com o Avatar no filme, notei que já tinha visto aquilo em algum lugar, só mais tarde me toquei que foi em Neon Genesis Evangelion, anime de renome do estúdio Gainax, a parte da porcentagem de sincronização do cérebro, o lugar que eles entram para poderem sincronizar (que lembra um plug de entrada), e um pouco das referências a criação do Avatar de acordo com o DNA do "piloto" (isso já é mais diferente, mas segue a mesma linha).
Bom, mas no fim, Avatar consegue ser um filme muito bonito, e tendo uma velha história recontada mais uma vez no cinema.

Agora estou esperando Avatar 2.
Postar um comentário